Os (a)braços da obra


❝ Sem braços não se faz obra e sem cabeças não se a idealiza. ❞

Muitos são os dias em que penso nisto. Não há com certeza ninguém que consiga, nos tempos que correm, fazer algo sem a ajuda dos outros. Preciso dos outros como, em determinados momentos, acredito, os outros precisam ou precisarão de mim.

É por isso que, a cada passo, olho as estrelas e sinto o quanto elas nos fazem falta. Elas mostram-nos que não é só uma que brilha. Há várias que brilham e é por aí.

E, quando vejo só uma lá no ar, sinto o céu despido e fico sem vontade de o olhar.

É por este motivo que penso: Como as estrelas brilham mais quando são várias juntas a brilhar, também o Homem quando brilha em grupo acaba, sempre, por brilhar mais.


Ismael Guimarães, AD

Sou um jovem adulto com muita tendência para a inovação. Tenho alguns projetos na gaveta que estão lá à espera do momento certo, de conhecer as pessoas certas ou de encontrar os parceiros certos.

Neste caso, esses parceiros teriam que ser da área do marketing, do webdesign e da fotografia, bem como da área do capital (de risco) pois sem dinheiro nada se consegue. Está bem presente em minha vida que Dinheiro gera Dinheiro!

Sem comentários:

Enviar um comentário